Democracia na América

Alexis de Tocqueville escreveu um livro só elogiando o sistema político dos Estados Unidos. E mesmo tendo sido assim, e mesmo tendo escrito o seu livro quase 100 anos antes do mais precoce sinal de decadência da democracia na América, percebeu coisas que até hoje quase ninguém percebe: o mandato da suprema corte é um enorme poder, uma força centralizadora, imune ao voto popular e com poderes altamente indefinidos e por isso mesmo ilimitados.

Não sei se ele concluiu, porém, que não existe nem pode existir balanço perfeito entre poderes. Sempre haverá furos.

De qualquer maneira, o homem é um gênio apenas por ter percebido isso e outras coisas, como o fato da figura do presidente, também obviamente um elemento centralizador, não ser tão poderosa quanto a figura de um rei da França, por exemplo. Mas ao mesmo tempo, por entre o véu de elogios (sempre muito sóbrios) deixou escapar que provavelmente também achava que não poderia durar para sempre a fraqueza do cargo de presidente.