Cadeias, crimes e cidadãos de bem

A idéia de ficar dentro duma dessas penitenciárias superlotadas é aterrorizante para qualquer cidadão de bem, logo, nenhum cidadão de bem comete crimes puníveis dessa maneira. Mas os cidadãos de bem já não os cometeriam de qualquer modo, é um outro tipo de gente, que não o cidadão de bem, que comete os piores crimes (não quero dizer que o “cidadão de bem” é melhor do que o outro absolutamente, estou só usando um conceito mais-ou-menos identificável).

O problema disso é que todos esses mesmos cidadãos de bem imaginam que a existência da cadeia e da punição-padrão movida pelo Estado afasta do crime milhões de pessoas que, sem isso, cometeriam crimes horríveis, mas que com isso vivem vidas normais.

A verdade, me parece, é que quem fica assim tão aterrorizado com a idéia da cadeia e da punição-padrão é a pessoa que já por natureza não cometeria esses crimes.