Thomas Kuhn sequer menciona o “método científico”

O que define uma ciência é o recorte de uma realidade a partir de um paradigma que todos os que entram no campo daquela ciência aceitam como verdade. Pronto.

O “método científico” não é nem necessário nem suficiente (apesar de que ele mesmo precisa pressupor uma série de axiomas para funcionar, do contrário a pessoa ficaria tendo que testar cada sílaba dos seus experimentos e cada um desses testes seria impossível de realizar pois eles necessariamente precisariam de outros conhecimentos prévios etc.).

Por isso

  • a física teórica pode ser uma ciência embora não faça experimentos;

  • e a economia pode ser uma ciência embora não faça experimentos (tá bom, existem pessoas que insistem em fazer “experimentos” em economia, mas que na verdade são só uma enorme perda de tempo baseada em estatísticas, mas isso não importa, até essas coisas podem ter algum valor desde que não se as entenda como sendo parte de um método científico);

  • e a história pode ser uma ciência, por mais estranho que isso pareça, bastando apenas que o historiador junte fatos de antigamente tendo como pressuposto um paradigma, por exemplo, de que existe um sentido da história, ou sei lá (não acho que exista essa ciência da história hoje em dia, me parece que cada historiador está fazendo uma coisa diferente, sem muitos paradigmas além do bom senso);

  • e a biologia pode ser uma ciência mesmo consistindo unicamente num longo esforço de classificação, e de fato é hoje, já que vê cada espécie e suas partes como frutos de um processo evolutivo cujas bases constituem um paradigma, e nega outras visões, como a teleologia.

  • Método científico

  • A estrutura paradigmática da ciência

  • Um algoritmo imbecil da evolução