Viva o mata-mata

outro dia o comentarista Falcão, da Globo, disse, sobre o título do São Paulo: [i]“um jogo se ganha com um bom ataque, um campeonato se ganha com uma boa defesa”[/i], e foi deveras assustador pensar no que se transformou o futebol com o sistema de disputa do campeonato brasileiro por pontos corridos. um esporte em que vencia quem fazia mais gols está se transformando num esporte em que vence quem leva menos gols. é o sistema de pontos corridos - que premia a constância, o time que perde menos, mesmo que isso signifique empatar todos os jogos fora de casa em 0x0 e vencer todos em casa por 1x0. o sistema de pontos corridos premia o futebol feio, covarde, ou - como também é conhecido o futebol retranqueiro - o “equilíbrio”.

eis que o futebol brasileiro, resolvendo seguir a linha européia, institui a disputa por pontos corridos e se transforma numa cópia malfeita e pobre do chato futebol europeu. e perde-se tudo que tínhamos de aqui que eles não tinham lá (é claro, os europeus têm mais estrutura, mais dinheiro, mais tudo), a ousadia, os brios, a coragem, a categoria e o escambau.

daí falam que o sistema de pontos corridos é mais justo. é mais justo porque dá o título aos times que jogaram melhor durante o campeonato, os mais regulares. mas ninguém disse por que não é justo premiar os times que conseguem vencer na semifinal e na final, o time que consegue ser pior o campeonato inteiro e no final tirar forças não sei de onde pra vencer aquele que era (ou parecia ser) bem melhor do que ele, o time que dá a volta por cima, o time que - mesmo não sendo regular - sabe jogar em decisões, sabe se segurar em um estádio com 80 mil torcendo contra e sabe aproveitar quando há 80 mil torcendo a favor e matar o adversário. o melhor time é o que vai ganhando pontinhos em jogos bobos e no final junta tudo e a soma dá mais do que os pontinhos do adversário ou é o time que consegue entrar num estádio numa final e derrotar, cara a cara, o adversário?

e quem disse que futebol é regularidade? repare que não se ouve mais a expressão desde o início dos pontos corridos, mas futebol é uma caixinha de surpresas. dos esportes que eu conheço, futebol é o único em que o último colocado pode vencer o primeiro e ninguém considerar isso um absurdo. com os pontos corridos, morrem metade dos componentes do futebol: o amor pelo ataque - conforme explicitado na supracitada afirmação de Falcão - a coragem, os brios e a emoção.

ao premiar a regularidade no futebol, pode-se estar chamando de “campeão” um time que facilmente tremeria numa final. e não é justo que um time covarde seja campeão. duvido que o São Paulo de 2007 jogaria bem numa final contra o Flamengo. e dificilmente o Corinthians de 2005 venceria uma final contra o Internacional (aliás, perdeu, moralmente, aquele jogo que foi quase uma final entre os dois).

mas se todo mundo gosta tanto assim desse campeonato de pseudo-futebol, vem aí a Copa do Mundo por pontos corridos.