Família e propriedade

A idéia tradicional de família está associada a propriedades imobiliárias fixas, passadas de geração a geração.

Com propriedades sendo partidas, desfeitas, vendidas e divididas entre os filhos a idéia de família – um nome associado a um lugar – torna-se vaga e perde-se no ar.

Acho que isso não vale apenas para a nobreza medieval, mas mesmo para as famílias plebéias, e não valeu quase nunca para as sociedades do novo mundo. Acho que até seria compatível com a compra e venda de terras, que seriam compreendidas como uma família mudando de lugar, mas não com a divisão igualitária das propriedades da família entre vários filhos e assim sucessivamente.

Nunca antes tinha-me ocorrido este excelente e quase-óbvio insight que está escrito em “A Democracia na América”, de Alexis de Tocqueville.