A entrevista da Flávia Tavares com o Olavo de Carvalho

Não li todas as reclamações que o Olavo fez, mas li algumas. Também não li toda a matéria que saiu na Época, porque não tive paciência, mas assisti aos dois vídeos da entrevista que o Olavo publicou.

Tendo lido primeiro as muitas reclamações do Olavo, esperei encontrar no vídeo uma pessoa falsa, que fingiu-se de amigável para obter informações que usaria depois para destruir a imagem do Olavo, mas não vi nada disso.

Claro que ela poderia ter me enganado também, se enganou ao Olavo. Mas na matéria em si, também não vi nada além de sinceridade – talvez não excelência jornalística, mas nada que eu não esperasse de qualquer matéria de qualquer revista. Flavia Tavares não entendeu muitas coisas, mas não fingiu que não entendeu nada, foi simples e honestamente Flavia Tavares, como ela mesma declarou no final do vídeo da entrevista: “olha, eu não fingi nada aqui, viu?”.


O mais importante de tudo isso, porém, são as partes da matéria que apresentam idéias difíceis de conceber, como as que Olavo tem sobre o governo mundial ou a disseminação da pedofilia. Em toda discussão pública ou privada, essas idéias são proibidas. Muita gente pode concordar que a esquerda não presta, mas ninguém em sã consciência admitirá a possibilidade de que haja qualquer intenção significativa de implantação de um governo mundial ou da disseminação da pedofilia. A mesma carinha de deboche que seu amigo esquerdista faria à simples menção desses assuntos é a que Flavia Tavares usa no seu texto quando quer mostrar que Olavo é meio tantã. A carinha de deboche vem desacompanhada de qualquer reflexão séria ou tentativa de refutação, sempre.


Link da tal matéria: http://epoca.globo.com/sociedade/noticia/2017/10/olavo-de-carvalho-o-guru-da-direita-que-rejeita-o-que-dizem-seus-fas.html?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=post Vídeos: https://www.youtube.com/watch?v=C0TUsKluhok, https://www.youtube.com/watch?v=yR0F1haQ07Y&t=5s